Moderadores: Casimira Flor, Nuno Silva

O laboratório deve estar devidamente sinalizado, com mapa geral e plano de emergência interno. A indicação de localização de extintores, chuveiro, balde de areia, saídas, quadro de electricidade e torneiras de segurança é obrigatória, e deve ser do conhecimento de todos os técnicos. 

O armazenamento do material e reagentes deve ser efectuado de modo a minimizar potenciais riscos , de forma acessível e de fácil manipulação, devidamente identificados e armazenados de acordo com as suas propriedades físico-químicas, perigosidade e toxicidade. 

No laboratório só devem permanecer as quantidades de soluções/substâncias ou preparações químicas perigosas necessárias aos trabalhos efectuados.
 

Deve existir um armazém de reagentes/solventes para guardar temporariamente as substâncias que não são utilizadas com frequência. Este espaço deve ser anexo ao laboratório, ventilado e com temperaturas adequadas.

As folhas de segurança devem conter a listagem de todos os produtos químicos existentes e seus riscos, bem como fichas simplificadas de uso diário por parte dos técnicos, com indicação dos cuidados e propriedades desse produtos, bem como a sua perigosidade e toxicidade.
 

O plano de emergência deve conter toda a informação necessária para garantir a protecção de todos os intervenientes em caso de risco/acidente e deve ser simulado e testado sempre que se justifique. Além do levantamento dos riscos, deve conter a actuação de todo o pessoal em exercício em caso de emergência, indicação de responsáveis pela coordenação e intervenção nas emergências, planos de evacuação, indicação de pontos de concentração, sinais de alarme, listagens de equipamentos moveis de intervenção de segurança e médico, mapas de rede de agua, entre outros.
 


A necessidade de alertar e sensibilizar para os riscos de exposição às substâncias perigosas no local de trabalho leva a que se proceda à exposição de informações relevantes na utilização das substâncias e preparações perigosas.
A utilização incorrecta pode provocar danos graves na saúde. Desta forma, todos os que utilizam agentes químicos perigosos devem considerar os riscos inerentes á sua utilização. Por isso os riscos têm de ser conhecidos por parte do empregador, direcção, trabalhadores.

A todo o agente químico que, não estando classificado como perigoso, possa originar riscos para a segurança e saúde dos trabalhadores devido às suas propriedades físicas, químicas ou toxicológicas e à forma como é utilizado ou se apresenta no local de trabalho, incluindo qualquer agente químico sujeito a um valor limite de exposição profissional, são também aplicadas as medidas relativas à protecção da segurança e saúde dos trabalhadores contra os riscos ligados à exposição a agentes químicos no trabalho.