Moderadores: Casimira Flor, Nuno Silva

 

Em 20 de Junho de 1909, foi adquirida pelo Estado português a Quinta de Almoinha, em Dois Portos, sendo administrada pela Estação Agronómica de Lisboa, a partir de 13 de Fevereiro de 1910.

Em 1924, é nomeado o seu primeiro Director, elaborado o primeiro Plano de Estudos e a organizada a primeira Biblioteca. Em 26 de Janeiro de 1925, inicia-se a montagem do seu primeiro Laboratório.Em 1928, é elaborado um novo Plano de Estudos, compreendendo um vasto leque de acções, no âmbito de estudos tecnológicos, de estudos pomológicos e trematológicos e de estudos culturais. Da acção então desenvolvida, destaca-se o forte incremento de Assistência Técnica à Produção e a realização do “1ª Curso Intensivo de Vinificação”. Pelo Decreto-Lei nº 19253 de 19 de Janeiro de 1931, é criada, em substituição do

Posto Agrário de Dois Portos, a Estação Vitivinícola do Centro Litoral, com uma vasta lista de competências, referindo-se já, e muito claramente, actividade de investigação científica, de índole vitícola e enológica, bem como um papel preponderante nas regiões demarcadas de Bucelas, Carcavelos, Colares e Setúbal.

De 1932 a 1935, foram realizados diversos Cursos (um de “Podadores de Videiras” e quatro de “Vinificação”).

A Estação Vitivinícola do Centro Litoral é extinta pelo Decreto nº 27207 de 16 de Novembro de 1936 e criado, em sua substituição, o Posto Vitivinícola de Dois Portos, que iria funcionar até 1960. Foi durante este período que se instalou, pela primeira vez, a Colecção Ampelográfica Nacional (1944 a 1948), bem como um novo viveiro de pés-mães.

Pelo Decreto-Lei nº 43354 de 24 de Novembro de 1960, é extinto o Posto Vitivinícola de Dois Portos, e criado o Posto Agrário de Dois Portos, transformado em Posto Experimental, dependendo da orientação do Centro Nacional de Estudos Vitivinícolas, no que se refere aos trabalhos de Vitivinicultura. Foi neste período que foi construído o principal edifício que hoje integra o actual organismo. Ficou assim constituído o então denominado Núcleo Experimental do Centro Nacional de Estudos Vitivinícolas. Pelo Decreto -Lei nº 47934, de 13 de Setembrode 1967, foi extinto o Posto Agrário de Dois Portos, que passou a integrar e a constituiro Núcleo Experimental do Centro Nacional de Estudos Vitivinícolas.

Pelo Decreto Regulamentar nº 78/77 de 25 de Novembro, foi extinto o Centro Nacional de Estudos Vitivinícolas, sendo os seus bens e pessoal integrados no Instituto Nacional de Investigação Agrária (INIA), cuja Lei Orgânica foi aprovada pelo Decreto Regulamentar nº 39-A/79 de 31 de Julho, diploma que veio criar então a Estação Vitivinicola Nacional (EVN), em Dois Portos, como serviço operativo do INIA.